quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Elas são o centro das atenções!!!

As mesas de centro são apoios para sala de estar, mas quem disse que esses apoios não podem ser decorativos, esculturais, luxuosos, irreverentes?
Essas mesas foram criadas com o objetivo de serem o centro das atenções da sala. Por isso, muito cuidado com a escolha do tapete e dos demais objetos! Se sua intenção é ter a mesa de centro como protagonista na decoração de sua sala, essas são ótimas opções!
 
Mesa redonda com base em ferro pintado e tampo em vidro


Mesa com tampo em vidro e base de cerâmica vitrificada

Em acrílico

Desenho moderno em madeira

Tampo em vidro e base em madeira com interessante desenho de pétalas

Moderna com tampo em vidro e base em inox

Mesa vintage de madeira laqueada em azul

Mesa com base escultural de madeira

Mesa rústica com base de tronco de árvore
Mesa em madeira com desenho retrô
Mesa revestida com couro

Mesa preta e amarela acabamento em fórmica



sites consultados:
http://www.decoracaomobiliario.com/
http://www.arkpad.com.br/

Acessibilidade: a cidade para todos!

Acessibilidade não é apenas uma rampa na entrada do edifício. Acessibilidade é respeitar o próximo, é entender que todos, não importa quem, devem ter a liberdade de "acessar" aquele local.
Por que é tão difícil? Não é por falta de legislação, nem por falta de educação, isso mesmo, arquitetos e urbanistas estudam a fundo a questão da acessibilidade! Se existem leis, existem pessoas que sabem fazer, por que não é feito? Simplesmente por desrespeito, achamos que aquilo não é comigo e por isso mesmo não me interessa! 
Seria tão mais fácil e confortável se a cidade fosse acessível à todos! Poderíamos andar de salto! Passear com carrinho de bebês! Quantas vezes eu pensei duas vezes antes de colocar um salto porque teria que andar em calçadas esburacadas, subir escadarias... Quantas vezes eu preferi ir de carro ou táxi a ir a pé! Muitas vezes! 
No entanto, temos que pensar que existem pessoas que precisam enfrentar esses obstáculos que colocamos para elas todos os dias, obstáculos que seriam facilmente solucionados se todos se importassem mais com as outras pessoas.
Não estamos falando apenas de cadeiras de rodas, estamos falando de todos! A arquitetura deve ser acessível a todos! A cidade deve ser acessível a todos! 
Não apenas sair colocando rampas por aí, imaginar os espaços sendo utilizados por pessoas! As pessoas são diferentes, tem necessidades diferentes, limitações diferentes, mas nós, arquitetos e urbanistas, aprendemos a lidar com os obstáculo, a fazer o acessível, falta apenas colocar em prática!


Esse vídeo retrata muito bem a falta de respeito pelo próximo e a falta de cuidado da prefeitura, que deveria assegurar o acesso de todas as pessoas na praça, e que infelizmente não consegue enxergar o real problema que está sendo discutido!

Passei a poucos dias nessa praça e continua do mesmo jeito...

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

COR: Elemento Estratégico!



O uso das cores certas nos ambientes empresariais auxilia no bem-estar dos funcionários e visitantes, uma vez que elas podem interferir nas reações psicológicas dos indivíduos, relacionadas ao humor, satisfação e motivação, e até alterar o funcionamento do organismo. As cores ainda contribuem para o aumento do desempenho e para diminuição da fadiga visual e dos índices de acidentes. Além disso, é uma importante ferramenta no que diz respeito à mensagem que se deseja transmitir aos clientes e funcionários.


Outra propriedade do uso estratégico das cores é a alteração de percepção do ambiente, como a impressão de ambiente mais alto, mais claro, maior, através da utilização de cores frias e claras, o que acontece inversamente com os tons quentes, que tendem a diminuir os espaços, assim como a utilização de cores escuras.


Na percepção de tempo, experiências mostram que em ambientes com cores quentes, o ser humano não tem noção da passagem do tempo, enquanto em locais com cores frias o tempo é superestimado. No que diz respeito à percepção tátil, cores quentes parecem mais fofas e macias, enquanto cores frias causam a sensação de dureza.

Em relação à percepção gustativa e olfativa verifica-se que os vermelhos, laranjas, amarelos e verde-claros são cores apetentes, diferentes de púrpura, mostarda e tons de cinza, que são menos desejáveis.


Por isso é importante o conhecimento das necessidades do espaço para elaboração de um projeto cromático, não apenas utilizando as cores da logomarca da empresa, que muitas vezes podem ser inadequadas para o tipo de atividade realizada no local. 


Ao escolher a cor é importante atentar para o tipo de iluminação que será utilizada, pois a iluminação afeta a percepção visual da cor. Também observar os índices de reflexão das cores, em ambientes de trabalho a luminosidade deverá ser alta para realização das tarefas por um longo espaço de tempo.


As cores mais enérgicas como o laranja e o vermelho devem ser utilizadas em locais onde é exigida uma maior atividade, em áreas movimentadas ou áreas de passagem, como por exemplo: copas, banheiros, escadas, corredores. Já em ambientes onde as tarefas exijam maior concentração, os tons verde amarelados, mais tranquilos, são os mais indicados para salas de leitura, por exemplo. Para criar ambientes menos monótonos é interessante trabalhar a alternação de cores nas paredes, criando movimento, indicados para salas de espera.


As cores e suas sensações:
  • AMARELO: Cor quente e estimulante gera vivacidade e luminosidade, sugere proximidade dos objetos. Se utilizado em excesso torna-se monótono e cansativo. Indicado para ambientes onde se exige concentração, pois atua no sistema nervoso central.
  • AZUL: Na cultura ocidental o azul está associado à fé, confiança, integridade, pureza e paz. O azul escuro dá sensação de frieza e formalismo.
  • LARANJA: Cor estimulante e de vitalidade. Está relacionada com entusiasmo, ação, força. Possui grande visibilidade e chama atenção para pontos que devem ser destacados.
  • ROSA: Aquece, acalma e relaxa. Está ligado à fragilidade, delicadeza e feminilidade.
  • VERDE: O tom claro transmite sensação de paz e bem estar. É uma cor que sugere tranquilidade, dando a impressão de frescor. Tons escuros tendem a deprimir.
  • VERMELHO: Cor estimulante. Desperta o entusiasmo, dinamismo, ação e violência. Se utilizado em excesso pode irritar e despertar violência.
  • VIOLETA: O tom deve ser utilizado com cautela, pois torna o ambiente desestimulante e agressivo, gerando melancolia e depressão. Sugere proximidade, contato com sentimentos elevados e com a espiritualidade. Assim como o vermelho, azul escuro e o verde escuro não devem ser utilizados em grandes áreas.

Desta maneira, vemos que o uso da cor pode ser empregado não apenas como elemento estético, mas como elemento funcional para o espaço, principalmente no que diz respeito ao conforto e saúde psicológica dos usuários.

Use com sabedoria as cores e torne mais agradável os ambientes de trabalho!
Ocorreu um erro neste gadget